Artrite e Sexo: Aprenda a conviver com o problema para não ter uma vida sexual frustrada.

A artrite, também conhecida como reumatismo, causa ataques repentinos de dor, perda de estabilidade e, em casos mais severos, até a perda de mobilidade. Quase 70% das pessoas afetadas pela artrite admitem que a doença afeta sua vida sexual. A rigidez e a dor nas articulações geralmente diminuem a libido dos parceiros, principalmente quando há dificuldade em dialogar sobre o assunto e procurar ajuda médica.

Segundo o ortopedista Bruno Bezerra, “quanto mais jovem é o paciente, mais ele sofre com as limitações do sexo. O homem mais maduro tende a diminuir as investidas sexuais, mas também se incomoda com a dor que o impede de exercer seus movimentos com desenvoltura. É como se a sua masculinidade estivesse ameaçada”.

Na opinião do médico, as mulheres também reclamam por satisfação sexual. Muitas perdem o desejo em função do constrangimento por não conseguirem sustentar o peso do corpo em determinadas posições. Outras ficam desestimuladas quando sabem das dores que o parceiro sente e de suas incapacidades. “Neste caso, é decisivo que os parceiros saudáveis entendam as limitações de quem sofre de artrite, sugerindo posições mais confortáveis para o ato sexual. A pessoa que sente dor deve evitar apoiar-se sobre seus braços, ombros e joelhos. Permanecer deitado de costas ou de lado é uma boa opção”, garante Dr. Bezerra

Um pouco de calor aplicado no local afetado pode ajudar a aliviar a dor e minimizar a rigidez. Banhos quentes, aplicações de bolsas de água quente, calor da lâmpada ou massagens com cremes apropriados são meios usados para diminuir o desconforto.

Pílulas e injeções têm um papel restrito. Os analgésicos e chás contra atrite podem ser úteis para reduzir a dor e a rigidez. Entretanto, nem todos obtêm o mesmo grau de benefício. Ainda assim, Dr. Bezerra recomenda que o paciente tome o suplemento Flexx Mais um pouco antes do ato sexual, “para ter uma relação mais confortável”.

Dr. Bruno Bezerra garante que a cirurgia em pacientes com artrite na região dos quadris pode conseguir um grande alívio da dor. As partes ósseas são substituídas pela articulação de metal e plástico de alta densidade.

Após a cirurgia, as superfícies da articulação serão novamente lisas e poderão movimentar-se facilmente. A pessoa  sentirá seus movimentos com mais naturalidade, embora deva sempre lembrar-se de que seu quadril tem uma articulação artificial e, portanto, merece atenção.

Há cinco anos, o Dr. Bruno Bezerra vem aperfeiçoando uma técnica chamada de Artroscopia de Quadril. Utilizando o artroscópio, instrumento que permite ao ortopedista examinar, diagnosticar e tratar lesões, necessitando apenas de duas ou três incisões pequenas, a artroscopia é muito menos traumática e dolorosa do que a cirurgia convencional.

Indicada para pacientes que sofrem de dores na virilha em decorrência de lesões no ligamento da cabeça do fêmur, inflamação sinovial, calcificações, entre outros, a artroscopia de quadril é uma opção para adiar a implantação de uma prótese, nos casos de pacientes portadores de artrite ou artrose leve de quadril. Para o ortopedista, “a artroscopia garante qualidade de vida ao paciente, além de não apresentar problemas no pós-operatório”. Dr. Bezerra afirma que o paciente geralmente volta às atividades sexuais cerca de seis semanas após a cirurgia.

Leave a Reply

Categorias